Homens bons

“Não há rapazes maus, mas é muito difícil torná-los homens bons.”

Padre Américo, citado por Henrique Monteiro, jornal Expresso , 2 Junho 2012, pág. 40

os europeus eram tão ricos

“E Mario Draghi, o presidente do Banco Central Europeu, teve, no mínimo, um momento de sinceridade ao dizer ao Wall Street Journal que o modelo social europeu está morto … “Houve um tempo em que o economista Rudi Dornbush costumava dizer que os europeus eram tão ricos que podiam pagar para não se trabalhar”, “mas esse tempo já passou”.

(O modelo social europeu …  – José Manuel Fernandes – jornal Publico, 2 Março 2012, pág 38)

entre a realidade e a ficção

“Não é possível manter uma Constituição (que estipula o caminho socialista e onde se lê que os trabalhadores devem controlar as empresas, entre dezenas de artigos non sense) que ninguém leva a sério! Para termos, de facto, uma Lei Fundamental, a Constituição terá de ser revista. De outro modo, tal como hoje acontece em aspectos decisivos – estado social, soberania, justiça – continuaremos a viver nas margens da legalidade.”

(Nos limites da Lei – Henrique Monteiro – jornal Expresso, 14 Abril 2012, pág 40)

o mundo pode mudar muito depressa

“Em 1912, havia um Império Austro-Húngaro; havia um Império Otomano; havia um czar na Rússia; havia um Império Alemão que era o herdeiro da Prússia Imperial. E não é só que “havia” este ou aquele império. Parecia que sempre tinham estado ali …”

“Na verdade, todo esse mundo estava à beira da falésia sem o imaginar. …”

“Em 1918, …, metade dos impérios tinham levado sumiço.”

(Datas, somente datas – Rui Tavares –  jornal Publico, 16 Abril 2012, pág. 48)